IBP faz pré-lançamento da universidade setorial da indústria de petróleo

20 de setembro de 2018


O pontapé inicial da UnIBP foi dado em evento voltado para os RHs das principais empresas do setor

Na última segunda-feira, 17 de setembro, o Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) fez o pré-lançamento da UnIBP – a universidade setorial da indústria de petróleo, gás e biocombustíveis – para representantes da área de Recursos Humanos das principais empresas do setor.

O evento contou com palestras de Leyla Nascimento, presidente da World Federation of People Management Associations e CEO do Grupo Capacitare e do professor Gil Giardelli, consultor na área de inovação e Economia Digital.

Segundo Leyla, o mundo passa por um rearranjo do modelo corporativo em que se busca uma nova forma de atuar. “Precisamos trabalhar nós mesmos como líderes de leituras de cenários. Precisamos estar atentos ao que vem acontecendo não só na nossa cidade e no nosso país, mas também lá fora. É preciso ter um olhar total. Estamos todos dentro desta polarização de um mundo corporativo em mudança”, afirmou.

A indústria de petróleo e gás não é exceção e também passa por um momento de transformação, e os profissionais do setor precisam caminhar junto e se adaptar a tais mudanças. É nesse cenário que a UnIBP surge, focada nas necessidades do setor e oferecendo soluções educacionais de desenvolvimento continuado de competências para os profissionais que queiram se destacar nessa indústria.

De acordo com Leyla, a educação corporativa é um dos pontos de atenção dos RHs diante desses novos cenários. “Viramos estudantes permanentes, e a educação corporativa é a forma que as organizações têm de transferir conhecimento permanentemente, formar e transformar pessoas para um momento tão único como o que estamos vivendo”, disse.

Nesse sentido, a UnIBP vem oferecer uma aprendizagem continuada para aqueles que atuam ou desejem migrar/atuar na indústria, para desenvolver as competências essenciais para o profissional do setor de petróleo e gás. Além disso, as aulas da UnIBP seguem uma metodologia pedagógica estruturada, possibilitando que os alunos tracem um caminho de carreira. A partir do agrupamento da indústria de petróleo e gás em diferentes blocos, a Universidade se divide em cinco escolas que irão oferecer cursos técnicos e não-técnicos em 18 áreas de conhecimento: E&P, Midstream e Downstream, Gás e Energia, Tecnologia e Inovação e Escola de Negócios.

O professor Gil Giardelli também aposta na preparação das pessoas para a nova era, especialmente com a introdução das novas tecnologias nos diferentes setores econômicos.

“Hoje, o profissional de quase qualquer área precisa, em média, de 160 horas semanais de estudo para se manter atualizado. Em uma semana que tem 164 horas, faltaria tempo para dormir e fazer coisas que são essenciais na nossa vida. Isso tem criado um colapso grande na forma como a gente pensa esse novo mundo”, sentenciou Giardelli. “Em média, são 22 decisões complexas que precisamos tomar por mês. Ou seja, é quase uma decisão complexa por dia. Vamos precisar estudar pelo resto da vida”, complementou.

Pensando nessa complexidade, a UnIBP oferece cursos com formatos complementares e diversos, podendo ser oferecidos como workshop, webinar, de atualização, MBA, pós-graduação, entre outros. Além disso, serão ofertados cursos presenciais e à distância por meio de uma plataforma de e-learning.

“A universidade setorial pensa não só no desenvolvimento de cursos estanques para a indústria, mas também nas competências e na identidade dos profissionais, além de como o IBP pode ajudar nesse desenvolvimento – já que, enquanto casa da nossa indústria, temos inteligência setorial e participamos de todos os pleitos relativos ao setor de petróleo e gás”, finalizou Karen Cubas, gerente de Projetos Educacionais do IBP.

Educação que gera energia