Evento apresenta as tendências do mercado de energia

18 de fevereiro de 2019


Professor do curso de Especialização aborda prováveis cenários para as próximas décadas

 

O Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) e a Fundação Dom Cabral (FDC), lançaram o curso de Especialização em Gestão Estratégica de Petróleo, Gás e Energias Renováveis, focado em desenvolver competências e habilidades que contribuem para a evolução da carreira e dos negócios no setor de energia. Na ocasião, o professor do curso Paulo Vicente Alves apresentou uma visão do mercado de energia brasileiro para as próximas décadas, ressaltando a importância da tecnologia, principalmente em momentos de crise mundial.

“Se considerarmos o passado para predizer o futuro, o mundo passará por um novo momento de grande crise. Entre o final do ano passado e o começo de 2019, países como Alemanha e Itália entraram em recessão. Por outro lado, também aprendemos com o passado que as grandes crises política, econômica e social são precedidas de ciclos tecnológicos que forçam as pessoas a repensarem a inserção da tecnologia no sistema, fazendo assim com que o capitalismo se reinvente a cada novo ciclo”, disse Paulo Vicente Alves.

De acordo com o professor, o maior desafio é entender esse novo cenário e, com ele, o surgimento de 12 tecnologias – nanotecnologia, biotecnologia, medicina avançada, neuroergonomia, geração de energia, materiais e manufatura, energia distribuída, tecnologia espacial, guerra de informação, inteligência artificial, robótica e sensores. Tais inovações vêm recebendo grandes investimentos do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, que em 2019 assegurou um orçamento de US$ 96 bilhões para pesquisa e desenvolvimento, um recorde histórico.

Ainda segundo Paulo Vicente, esse período de transição do fim do esgotamento para o início de uma crise traz para o cenário global a volatilidade do preço do petróleo, que deverá se manter pelos próximos 15 a 20 anos. Desse modo, o petróleo não será totalmente substituído pelas outras fontes energéticas, como a energia solar que vem tomando cada vez mais espaço. O recurso continuará sendo aplicado na produção de plásticos, lubrificantes e gasolina de aviação, garantindo a demanda de petróleo, mesmo que reduzida em relação à atual.“Podemos concluir, então, que estamos em plena transição de matriz energética, e, embora o petróleo ainda tenha uma vida longa como uma indústria importante, é a energia solar que deve se estabelecer no futuro como um novo paradigma”, conclui.

 

O Programa de Especialização

Tatiana Goulart, gerente dos Programas de Especialização e Mestrado da Fundação Dom Cabral, explicou a parceria entre as instituições e o curso que terá início já em abril deste ano. “A ideia é pensar o futuro da indústria junto aos executivos do setor e desenvolve-los com foco em gestão, para que eles possam atuar como protagonistas de seu desenvolvimento”, disse.

A pós-graduação latu sensu, tecnicamente desenhado pela FDC e reconhecida pelo MEC, faz parte da Escola de Negócios da UnIBP, a universidade do setor de petróleo, gás e biocombustíveis. A parceria da UnIBP com a FDC visa oferecer um programa com foco no conhecimento técnico e aplicado de gestão, totalmente voltado para os profissionais que buscam se destacar no setor de energia. Lançada em outubro de 2018, a UnIBP agrupa a indústria em diferentes blocos, se dividindo em cinco escolas: E&P, Midstream e Downstream, Gás e Energia, Tecnologia e Inovação e Escola de Negócios.

Os interessados em se inscrever ou em obter mais informações podem acessar o site  https://www.unibp.com.br/cursos/especializacao-em-gestao-estrategica-de-petroleo-gas-e-energias-renovaveis/

Educação que gera energia